Central de Concursos
  • Por: Folha Dirigida - Publicado em 10/08/2018 11h16 - Atualizado em 10/08/2018 12h01
Receita Federal já divulgou pedido de concurso para 2.083 vagas. Dessas, 630 são para o cargo de auditor-fiscal e 1.453 para analista-tributário. Embora o pedido ainda esteja aguardando aprovação do Ministério do Planejamento, os interessados já devem começar a se preparar.
 
O alerta é do professor de Direito Tributário da Central de Concursos, o auditor-fiscal da Receita Federal Cláudio Ferrer. O professor acredita que não haverá muito tempo para se preparar entre a autorização do concurso e a realização das provas.
 
"É claro que para o candidato que está se preparando há um tempo, essa demora acaba gerando um pouco de ansiedade. Mas, quem está começando a estudar não deve se preocupar agora com essa questão da autorização."
 
A matéria que Cláudio Ferrer leciona, Direito Tributário, está entre aquelas que os candidatos sentem mais dificuldade. E não é para menos, a prova é extensa e aborda conteúdos muito específicos. Entre os mais cobrados estão, segundo o especialista, Sistema Tributário Nacional da Constituição (do artigo 145 até o 162), Código Tributário Nacional e Tributos Específicos (de competência da União, Estados e Municípios).
 
 

Direito Tributário tem peso dois na prova do concurso Receita Federal

 
Ferrer explicou que nas três últimas seleções da Receita Federal (2009, 2012 e 2014) o conteúdo de Direito Tributário foi o mesmo. Então, uma boa dica é utilizar as provas anteriores para estudar.
 
"O candidato deve dar atenção especial aos tributos da União. Sempre cai, por exemplo, questões sobre contribuições, principalmente os tributos federais e as últimas jurisprudências do Supremo Tribunal Federal", destacou.
 
O professor enfatizou ainda que todas as matérias têm sua devida importância, mas o candidato deve dar atenção especial a Direito Tributário. Ferrer elencou três motivos para isso:
 
1. Por ser uma prova de Conhecimentos Específicos, Direito Tributário tem peso 2;
 
2. A prova tem mais questões. Normalmente são 15 de Direito Tributário e dez de Legislação Tributária e as duas matérias acabam sendo muito relacionadas;
 
3. Na segunda fase, uma das questões provavelmente será de Direito Tributário ou Legislação Tributária, como foi em 2012 e 2014. Entender bem sobre esses assuntos pode fazer diferença na classificação final no concurso.
 

Confira 4 dicas para quem está começando a estudar

 
Para quem ainda não iniciou os estudos e vai começar o professor também faz recomendações. Se você está nessa situação confira as dicas abaixo:
 

Não se desespere com a quantidade de conteúdo

O professor destacou que no início os candidatos que começam a se preparar ficam desesperados com a quantidade de matérias que são colocadas nos editais. "Comece a sua preparação aos poucos e respeite o seu ritmo de estudos", pontuou.
 

Procure um bom cursinho

Online ou presencial, Ferrer ressaltou que os cursinhos ajudam muito a "decodificar" as matérias. "Basicamente, o cursinho vai direcionar o candidato para os principais assuntos que são cobrados na prova", destacou.
 

Organize sua rotina de estudos

Segundo o professor, é importante separar os materiais de estudos e organizar uma rotina para dar conta de todo o conteúdo que precisa ser estudado.
 

Use a internet a seu favor

Para Ferrer, a vantagem do candidato que presta concurso nos dias atuais é que ele tem uma boa quantidade de material disponível na internet. O concurseiro pode acessar sites de questões e de conteúdos, vídeos de professores e as próprias leis.
 
"A maior dificuldade do Direito Tributário e Legislação Tributária é conseguir ter um material atualizado. Hoje o candidato consegue entrar no site do Planalto ou simplesmente 'dar um google' na lei que precisa e ele vai encontrar essa lei atualizada. Então, a internet é muito válida para buscar conteúdo", enfatizou.
 
Quanto às melhores técnicas para estudar, o professor destacou que o importante é procurar entender o que se está estudando. "Em Direito e Legislação Tributária tem muita informação, mas a chave para guardar tudo é entender as informações." Cláudio Ferrer, que também é auditor fiscal da Receita, deixou, ainda, uma mensagem aos concurseiros.
 
"A competição não é com os demais candidatos, a competição é com você mesmo. Se você colocar como objetivo de vida ser aprovado em um concurso público e se esforçar para isso, em algum momento vai acontecer. No começo vai ser difícil estudar muitos conteúdos, mas se se persistir você vai chegar lá. A grande dificuldade do candidato é manter a persistência diante de todas as dificuldades."
 
 
blog

Outras Notícias