Central de Concursos
  • Por: JC Concursos - Publicado em 08/01/2015 00h00

Continua a expectativa pela realização do novo concurso para o cargo de escrevente técnico judiciário do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ/SP), destinado às comarcas do interior e litoral paulista. A previsão é de 600 vagas, mas o quantitativo somente poderá ser confirmado após parecer do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) sobre os pedidos dos remanescentes dos concursos de 2012 e 2013, que alegam direito às vagas, em detrimento de novo certame.

 

O processo está na pauta para votação no plenário do conselho. Porém, não foi votado na última sessão de 2014, em 16 de dezembro. Agora, com o recesso judiciário, os interessados devem aguardar a retomada das sessões, que ocorrerá a partir de 3 de fevereiro.

 

Os remanescentes alegam que o órgão deveria encerrar a lista de aprovados, antes de realizar novo concurso, como anunciado em abril pelo presidente do TJ, desembargador Renato Nalini. Embora o candidatos aleguem direito às nomeações, o órgão argumenta que o prazo de validade dos concursos já encerrou, sem obrigatoriedade de prorrogação, e que foram nomeados mais aprovados que a oferta inicial.

 

Para concorrer ao cargo é necessário possuir ensino médio, com remuneração inicial de R$ 4.848, incluindo salário de R$ 3.878, auxílio-creche de R$ 200, auxílio-alimentação de R$ 29 por dia e auxílio-transporte de R$ 6 por dia, considerando 22 dias.

 

Assim que realizado, o concurso deve seguir os padrões da seleção para a primeira região, que engloba a capital e Grande São Paulo, realizado recentemente. A seleção conta com duas fases, com provas objetivas na primeira e exame prático de digitação e formatação na segunda. A parte objetiva consta de 100 questões, sendo 24 de língua portuguesa, 35 de direito e 40 de conhecimentos gerais, incluindo quatro de atualidades, dez de matemática, 16 de informática e dez de raciocínio lógico. A parte de direito inclui temas de penal, processual penal, constitucional e administrativo, além de normas da Corregedoria Geral da Justiça.

blog

Outras Notícias