Central de Concursos
  • Por: Yuri Salso - Publicado em 15/07/2016 17h16 - Atualizado em 15/07/2016 17h20

Mesmo com o corte de gastos e adiamentos de concursos públicos que vêm ocorrendo neste ano devido à crise econômica, o governo federal está se empenhando para melhorar a qualidade do serviço à população. Acontece que no último dia 12/07, o Senado Federal aprovou o projeto de lei da câmara 38/2016, que trata da criação e remanejamento, de forma gradual e de acordo com a autorização do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), de 14.419 vagas.

A proposta, que já foi autorizada na Câmara dos Deputados e agora aguarda a sanção do presidente interino, Michel Temer, prevê o preenchimento de 5.623 vagas para cargos com exigência de nível médio e 8.796 para carreiras com necessidade de nível superior em diversos órgão.

Além disso, o projeto também versa sobre a recomposição salarial para funcionários do Tribunal de Contas da União (TCU), da Câmara dos Deputados, Advocacia-Geral da União (AGU), Polícia Federal (PF), Banco Central (BC), Cultura, Educação, Desenvolvimento Agrário e de outras 40 carreiras, dentre elas as atividades de técnicos de hospitais públicos federais, militares, agentes penitenciários e médicos.

Veja a distribuição das 14.419 vagas entre os órgãos federais:
 

MPOG


Para o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), as oportunidades serão para as atividades de nível superior de analista técnico de pessoal e de logística (2.190 vagas), arquitetos (34), geógrafos (63) e geólogos (29).
 

 

Dnit

 

Estão sendo criadas, para o Departamento de Infraestrutura (Dnit), 200 vagas para o cargo de analista administrativo, com exigência de nível superior.

 

 

IN

 

A Imprensa Nacional (IN) será beneficiada com vagas de nível superior de analista técnico administrativo (17), analista de publicações oficiais (26), arquivista (1), bibliotecário (2), contador (2), engenheiros (2), estatístico (1), historiador (1), técnicos em comunicação social (9) e museólogo (1).

 

 

Educação

 

No Ministério da Educação, os postos de nível médio que estão sendo elaborados são para auxiliar de assuntos educacionais (649) e assistente administrativo (2.716). Para o nível superior, as vagas serão de assistente social (300), bibliotecário (50), contador (183), pedagogo-área (520), psicólogo-área (35), tecnólogos (229) e técnicos de assuntos educacionais (50).

 

 

SIPEC

 

As vagas para o Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal (SIPEC), serão de assistente técnico administrativo (120), que requer o nível médio e de assistente técnico administrativo, de nível superior.
 

 

Exército


As 516 oportunidades criadas para o Exército do Brasil serão para a função de nível superior de analista técnico administrativo.
 

 

IBRAM

 

Os cargos de nível superior para o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) serão de analista I (20), técnicos em assuntos culturais (26) e técnicos em assuntos educacionais (6).
 

 

PF
 

Na Polícia Federal, as oportunidades são para a atividade de agente administrativo (683), que tem como exigência o nível médio.
 

 

PRF
 

Na Polícia Rodoviária Federal, o projeto cria vagas para de engenheiros (27) e estatísticos (23) e para o novo cargo de técnico administrativo (995), todos de nível superior. As 455 oportunidades de nível médio são para a carreira de agente administrativo.
 

blog

Cursos

Apostilas

Outras Notícias