• Publicado em 17/12/2014 00h00

O pedido de autorização do aguardado concurso de policial da Polícia Rodoviária Federal(PRF), para o preenchimento de 1.500 vagas que, no último dia 3 de dezembro, havia sido encaminhado para o gabinete da secretaria de gestão pública, no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), foi devolvido, no último dia 11, para o Ministério da Justiça para eventuais ajustes. A autorização do concurso, por parte do MPOG, vem sendo aguardada desde 30 de maio.

Para participar da seleção é necessário o nível superior completo em qualquer área de formação e carteira de habilitação a partir da categoria “B”. A remuneração inicial é de R$ 6.418,25, com jornada de trabalho de 40 horas semanais.

Durante o exercício, o servidor conta com melhorias salariais. Ao ingressar, na terceira classe, após o padrão inicial, a carreira conta com mais dois, com remunerações, respectivamente, de R$ 6.482,43 e R$ 6.547,26. Na segunda classe, conta com seis padrões: I – R$ 7.839,27; II – R$ 7.908,57; III – R$ 7.987,66; IV – R$ 8.067,53; V – R$ 8.148,21; e VI – R$ 8.229,69. Na primeira classe são mais seis: I – R$ 8.942,59; II – R$ 9.210,87; III - R$ 9.487,19; IV – R$ 9.771,81; V – R$ 10.064,96; e VI – 10.366,91. Finalmente, na classe especial, existem três padrões:  I – R$ 10.968,98; II -  R$ 11.318,59; e III – R$ 11.658,15.

Quem pretende ingressar no órgão já pode iniciar os estudos, mesmo antes da autorização, uma vez que os concursos para o cargo costumam ser bastante acirrados. Além disso, o conteúdo programático costuma ser extenso.

Atividades

Quem ingressar na carreira contará com atribuições de natureza policial, envolvendo fiscalização, patrulhamento e policiamento ostensivo, atendimento e socorro às vitimas de acidentes rodoviários e demais atribuições com a área operacional do Departamento de Polícia Rodoviária Federal.

Último concurso

A seleção anterior para o cargo ocorreu em 2013 e foi organizado pelo Cespe/UnB. Ao todo foram registrados 109.769 inscritos para a oferta de 1.000 vagas. A seleção contou com prova objetiva, exame discursivo, testes de capacidade física, avaliação de saúde, avaliação psicológica, investigação social e análise de títulos.

A prova objetiva contou com 120 itens, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos.  Conhecimentos básicos contou com temas sobre língua portuguesa, matemática, noções de direito constitucional, ética no serviço público e noções de informática. Já em conhecimentos específicos, noções de direito administrativo, noções de direito penal, noções de direito processual penal, legislação especial, direito humanos e cidadania, legislação relativa ao DPRF e física aplicada à perícia de acidentes rodoviários.

Outras Notícias