• Publicado em 10/06/2015 15h48
O pedido de autorização de concurso para 1.500 vagas de policial rodoviário federal já está de volta ao Ministério do Planejamento (MPOG). A reapresentação do pedido foi feita para inclusão na proposta orçamentária para 2016 e, com isso, há possibilidade da autorização ser concedida ainda este ano, já que o preenchimento das vagas se daria apenas no ano que vem ou até mesmo em 2017.
 
Na solicitação do concurso, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, destaca que a seleção é a saída única para o departamento solucionar a crise de efetivo que vem provocando o fechamento de postos policiais em todo o país, prejudicando o desenvolvimento de diferentes atividades do órgão, além de comprometer a segurança dos atuais servidores. Segundo informou a PRF no início deste mês, a intenção seria propor uma programação para que sejam preenchidas as cerca de 3 mil vagas em aberto no quadro de policiais rodoviários federais.
 
Além das vagas ociosas, que correspondem a mais de 20% das 13.098 existentes, há ainda a possibilidade 3.600 aposentadorias aproximadamente somente até o fim deste ano. O departamento ainda conta com a possibilidade de nomear cerca de 700 aprovados além do número de vagas no último concurso, de 2013, mas isso não seria suficiente para recompor o quadro adequadamente.
 
Segundo o ministro Cardozo, caso as aposentadorias possíveis se consolidem, o órgão pode ficar com um efetivo de cerca de 7.450 policiais apenas, já considerando o ingresso dos mil aprovados no concurso concluído no ano passado. Há quase 20 anos, em 1996, a PRF contava com mais do que isso, 8.960 policiais. E de lá para cá, além das atribuições, aumentaram também a população e a frota de veículos do país: a população brasileira saltou de 157 milhões para 204 milhões. Já a frota de veículos que era de aproximadamente 24,3 milhões em 1998, mais do que triplicou, passando de 87,3 milhões nos dias atuais.
 
Ao pedir o novo concurso, Cardozo lembrou também que os planos do governo preveem um aumento considerável do policiamento nas fronteiras e na área da Amazônia Legal. O argumento reforça a expectativa pela autorização, já que o reforço das fronteiras para o combate ao tráfico de armas e drogas foi, inclusive, um compromisso assumido pela presidente Dilma Rousseff ao tomar posse para o seu segundo mandato, no início deste ano.
 
Requisitos e remuneração
 
O cargo de policial rodoviário federal é aberto àqueles que possuem o ensino superior completo em qualquer área e a carteira de habilitação, na categoria B ou superior. Os ganhos iniciais da carreira são de R$7.092,91, já com o auxílio-alimentação, de R$373.

Outras Notícias