• Publicado em 12/02/2019 15h03 - Atualizado em 12/02/2019 18h34
Planejamento de estudos
Planejamento de estudos é essencial para conseguir a aprovação em concursos públicos

 
Com o fim das férias, a volta à rotina no mês de fevereiro é o momento certo para estabelecer o emocional para o ano de vestibular e concurso público. Dividir as horas de lazer e leitura, separar o material adequado e, além de tudo isso, saber respirar fundo e enfrentar a pressão formam as atitudes obrigatórios, mas nada fáceis na prática. Ainda mais quando se trata das expectativas do futuro profissional. Sendo assim, especialistas dizem que o primeiro passo neste momento do ano é planejar.
 
Segundo Carlos Valença, professor de biologia e especialista no preparo de jovens para o vestibular, o mais indicado é organizar um plano de estudos semanal. “Nele deve ter uma rotina discriminada detalhadamente, como horário que acorda, almoça, janta, lancha, deslocamentos, dorme, aulas de colégios ou cursinhos, horário de estudo em casa ou fora, entre outros. Desta forma, conseguimos deixar o dia mais produtivo e o aluno terá maior controle de suas ações ao longo da semana”, sugere.
 
Estabelecida essa dinâmica, é hora de focar. “Alguns dispositivos como a criação de um gatilho, um símbolo que indique que aquele horário é exclusivo para os estudos, é uma das formas mais fáceis de exercitar a atenção e treinar o cérebro para o momento de concentração”, completa o professor.
 
No momento de se debruçar sobre os livros, é bom ficar atento aos possíveis sabotadores daquele momento. Razão para descartar tudo aquilo que boicote a rotina em direção aos objetivos, ainda segundo Valença. “O aluno tem que identificar situações, objetos, pessoas, hábitos que tirem ele do seu planejamento. Por exemplo, o uso do aparelho celular. Um estudo feito pela Hootsuite e We Are Social, diz que o internauta brasileiro fica, em média, nove horas e 14 minutos por dia conectado, sendo, desta forma, o terceiro país que passa mais tempo em rede, perdendo apenas para Tailândia e Filipinas”, resume.
 
Mas não é só isso. Para dar aquela ajudinha emocional, manter uma rotina de exercícios ajuda a liberar hormônios que proporcionam bem-estar. Assim como manter uma dieta equilibrada e cuidar para ter uma boa noite de sono.
 

O que mais pode ajudar

 
Quando o assunto é concurso, definir a carreira pública que se quer é importante para focar a linha de estudos. Na prática, nada de atirar para todos os lados. Os professores são categóricos ao afirmar que as matérias específicas tendem a se repetir, dependendo da área de atuação, o que facilita muito na assimilação do conteúdo.
 
“Também identifique qual é seu concurso ideal. Leve em conta a atividade cotidiana naquele cargo, o local de trabalho e, é claro, a remuneração. Você pode até prestar outras provas, mas foque-se naquela que estabeleceu como a melhor opção”, aponta o coach de carreira da Central de Concursos, Gabriel Henrique Pinto. Em seguida, ele destaca a necessidade de pedir ajuda. “Pense o seguinte: o professor de um bom cursinho ensina todo o direito constitucional que aprendeu em cinco anos de faculdade entre apenas 10 a 12 aulas. O mesmo raciocínio se aplica às demais matérias. Antes de gastar o seu dinheiro, entenda qual instituição oferece o melhor curso", sugere.
 
Por fim, a dica é buscar material adequado, estabelecer metas realistas de estudo – com horários possíveis para qualquer pessoa – e comemorar cada conquista nessa trajetória.
 
*Matéria publicada no Jornal Folha de Pernambuco, nos dias 9 e 10 de fevereiro de 2019

 

Outras Notícias