• Por: Yuri Salso - Publicado em 12/09/2018 17h33 - Atualizado em 12/09/2018 19h05

Ministério da Fazenda (MF) está aguardando a autorização do Ministério do Planejamento para realizar um novo concurso público, com 1.301 vagas distribuídas entre diversos cargos. Por conta da grande defasagem de pessoal no MF, a expectativa é grande para que a seleção seja liberada o mais rápido possível.
 

As vagas requeridas estão distribuídas da seguinte forma: assistente técnico administrativo (904), analista técnico administrativo (257), arquiteto (12), arquivista (9), bibliotecário (12), contador (53), engenheiro (15), enfermeiro (5), pedagogo (6), psicólogo (6) e técnico em comunicação social (22).
 
Para concorrer ao posto de assistente é necessário possuir ensino médio completo, enquanto as demais funções aceitam candidatos com formação superior em diversas áreas de atuação. Os salários iniciais atuais oscilam entre R$ 3.953,68 e R$ 6.388,27, já incluindo o vale-alimentação de R$ 458.

 

Lotação das vagas


O pedido não especificou as regiões de lotação das vagas, mas é bem provável que São Paulo (SP) e Brasília (DF) estejam entre eles. Isto porque a última seleção, que ocorreu em 2014, não ofereceu nenhuma oportunidade para SP e DF, pois, na época, o processo seletivo anterior, de 2012 (com 463 vagas para os dois Estados), ainda não havia expirado.

Os processos seletivos do órgão costumam ser organizados pela Escola de Administração Fazendária (ESAF). Quem deseja largar na frente e antecipar a preparação pode usar os editais dos concursos anteriores.

 

Último concurso Ministério da Fazenda


Com 263.770 inscritos, o último concurso foi realizado em 2014 e ofereceu 1.026 vagas para o cargo de assistente técnico administrativo.


A seleção foi feita por meio de uma prova objetiva com 70 questões de múltipla, distribuídas entre as disciplinas de matemática e raciocínio lógico, atualidades, gestão de pessoas e do atendimento ao público, ética do servidor na administração pública, administração pública brasileira, língua portuguesa, regime jurídico dos agentes públicos e conhecimentos de informática.

Outras Notícias