Central de Concursos
  • Publicado em 26/08/2014 00h00

Nesta terça-feira, dia 26, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) se reunirá com a Associação Nacional dos Servidores da Previdência e da Seguridade Social (Anasps), para avaliar o novo pedido de concurso feito ao Ministério do Planejamento. O presidente da Anasps, Alexandre Barreto, informou que ainda está analisando a nova solicitação, para saber se houve uma divisão correta do número de vagas pelos cargos. Segundo Alexandre, o fato do acréscimo de vagas ter ocorrido nas funções de analista e perito médico, não havendo aumento na de técnico, pode não resolver o atual problema de pessoal da autarquia, já que o último cargo é o que tem mais necessidade. As partes irão se reunir para debater o assunto.


O fato é que o INSS solicitou ao Planejamento 4.730 vagas, sendo 2 mil para técnico do seguro social, 1.150 de perito médico e 1.580 de analista do seguro social. O processo de autorização encontra-se desde abril no mesmo setor, o Departamento de Modelos Organizacionais e Força de Trabalho dos Setores Social e de Desenvolvimento Econômico Produtivo (Desep/Segep). A expectativa é de que a autorização do concurso seja divulgada este ano. O instituto, porém, está otimista quanto à autorização, segundo informou a sua presidência. De acordo com a autarquia, há um bom diálogo com o Planejamento, que sabe da sua grande necessidade de pessoal. Além disso, a intervenção do Tribunal de Contas da União (TCU), que por meio de auditoria recomendou a realização do certame, é uma boa influência, e deverá acelerar o processo. 
 

A necessidade ficou evidenciada após dados informados pelo próprio INSS: no período entre 2010 e abril de 2013, havia uma vacância de 5.054 servidores, sendo 3.253 somente na carreira de técnico do seguro social. A informação veio da nota técnica enviada ao Planejamento, para justificar a abertura do concurso. Ficaram vagos 1.107 cargos em 2010, 835 em 2011, 906 em 2012 e 405 até abril de 2013, somente na carreira de técnico do seguro social. Como a média é de quase mil vacâncias por ano, tendo como base esses números, estima-se que existam atualmente mais de 4 mil vagas em aberto para serem preenchidas somente nesta carreira. Além disso, há cerca de 10 mil servidores em condições de requerer a aposentadoria. 
 

O cargo de técnico exige o nível médio e tem remuneração de R$4.400,87, já incluindo auxílio-alimentação de R$373 e gratificação de atividade executiva e de desempenho de atividades do Seguro Social. A função de perito médico, por sua vez, requer graduação em Medicina e inscrição no conselho regional da categoria. O rendimento é de R$10.056,80, incluindo a gratificação de desempenho de atividade de perícia médica previdenciária. Já para concorrer às vagas de analista, que proporciona rendimento de R$7.147,12, incluindo o auxílio-alimentação, será necessário curso superior específico, cujas áreas contempladas ainda não foram informadas.

blog

Cursos

Apostilas

Outras Notícias