Central de Concursos
  • Publicado em 23/09/2014 00h00

Um grande número de convocações imediatas. É o que, muito provavelmente, ocorrerá em função do concurso do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), ainda pendente de autorização do Ministério do Planejamento. A evidência tem respaldo na alta necessidade de pessoal e nas últimas seleções: é tradição do instituto convocar mais aprovados do que o número de vagas especificado em edital. No último concurso, em 2011, para 1.500 vagas de técnico e 375 de perito médico, cujo prazo de validade encerrou em abril, foram feitas 5.020 convocações, de 6.881 aprovados, ou seja, 133% além da oferta prevista em edital.


Desse total, cerca de 90% das contratações ocorreram para o cargo de técnico. Já em 2008, quando foram oferecidas 1.500 vagas somente para técnico, 2.100 aprovados foram empossados. Outro indício é a grande necessidade de pessoal do instituto. Dados de uma nota técnica enviada ao Planejamento para justificar o pedido, indicam vacância de 5.054 servidores, 3.253 deles na carreira de técnico do seguro social. Além disso, há mais de 10 mil podendo pleitear a aposentadoria.


A solicitação feita ao Ministério do Planejamento é de 4.730 vagas, sendo 2 mil de técnico do seguro social, 1.150 de perito médico e 1.580 de analista do seguro social, e segue no mesmo setor. Mesmo que todas as vagas sejam autorizadas, a carência não será suprida e, portanto, os aprovados além das vagas imediatas poderão ser chamados. Diante desse quadro, os futuros candidatos podem ter a certeza de que as chances de alcançar a tão sonhada vaga estão maiores. Mas, para isso, é necessário o estudo desde já, guiando-se, principalmente, por meio de provas e programas desses concursos que ocorreram para a autarquia.


O INSS está otimista quanto à autorização, e acredita que ela pode ocorrer ainda este ano. O fato de o processo estar estagnado pode ser devido ao período eleitoral, e espera-se, após isso, que o Planejamento o acelere. O cargo de técnico exige o nível médio e tem remuneração de R$4.400,87, e o de perito médico requer graduação em Medicina e inscrição no conselho regional da categoria, proporcionando rendimento de R$10.056,80. Já para concorrer às vagas de analista, cargo que proporciona rendimento de R$7.147,12, será necessário curso superior específico.

blog

Outras Notícias