Central de Concursos
  • Publicado em 09/07/2014 00h00
Inevitável. É assim que o presidente da Associação Nacional dos Servidores da Previdência e da Seguridade Social (Anasps), Alexandre Lisboa, considera a abertura do novo concurso para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), cuja solicitação aguarda autorização do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG). Segundo ele, a seleção é imprescindível para que a autarquia continue a prestar um bom serviço à população.
 
No sentido de tentar agilizar os trâmites desse processo, a associação também se mobiliza. "A Anasps vem mantendo contato tanto com o ministro da Previdência quanto com o presidente do INSS solicitando a abertura do concurso para atender a necessidade de pessoal, tanto para repor as vagas dos servidores que se aposentaram quanto para atender o plano de expansão da rede de atendimento, com a construção de novas agências bem como para ampliar o horário de atendimento para a população", revela Alexandre Lisboa.
 
Alexandre Lisboa também conta que a Anasps tem mantido contato permanente com a direção da Previdência Social para tratar de causas de interesse dos servidores, tais como plano de carreira, melhoria nas condições de trabalho, incorporação de gratificações na aposentadoria deles, além também com relação a abertura de novos concursos. Segundo o sindicalista, um relatório do Tribunal de Contas da União (TCU), de meados do ano passado, apontou que, o INSS possuía 39.392 servidores, sendo 23.724 técnicos, 3.706 analistas, 4.604 peritos médicos, e o restante nos demais cargos.
 
Recentemente, o diretor de Recursos Humanos do INSS, Jorge Nunes Filho, afirmou que a atual necessidade da autarquia é de 1.800 técnicos. No entanto, a Anasps alega que a atual carência é superior a 10 mil servidores. Lisboa explica o porquê dessa diferença. "A Anasps leva em conta também o número de concursados que se aposentaram ao longo dos anos e cuja reposição foi parcial, e ainda o fato da criação de novas agências do instituto", esclarece.
 
Em trâmite nas instâncias do Ministério do Planejamento desde fevereiro deste ano, a expectativa é de que agora, após a Copa do Mundo, o processo para a autorização do concurso, para os cargos de técnico e perito, volte a acelerar. No momento, ele encontra-se no Departamento de Modelos Organizacionais e Força de trabalho dos Setores Sociais e de Desenvolvimento Econômico Produtivo (Desep/Segep). O INSS solicitou 3.080 vagas, sendo 2 mil para técnico (nível médio; R$4.400,87) e 1.080 para perito médico (R$10.056,80). No entanto, de acordo com um grupo de parlamentares que esteve reunido com a ministra do Planejamento, Míriam Belchior, a previsão é de que sejam autorizadas 1.500 vagas, todas para o cargo de técnico.
 
Fonte: Folha Dirigida
blog

Outras Notícias