Central de Concursos
  • Por: Yuri Salso - Publicado em 15/07/2020 09h33 - Atualizado em 15/07/2020 10h37
Foto: Divulgação (Governo de São Paulo)

Na última segunda-feira, 14 de julho, o governador de São Paulo, João Doria, anunciou que está autorizada a volta às atividades práticas do ensino superior e profissionalizante em municípios paulistas que estejam na fase 3 (amarela) do Plano São Paulo há mais de 14 dias.

O Plano São Paulo é dividido em 5 fases que vão do nível máximo de restrição de atividades não essenciais (vermelho) a etapas identificadas como controle (laranja), flexibilização (amarelo), abertura parcial (verde) e normal controlado (azul).
O Plano São Paulo também é regionalizado, ou seja, o Estado foi dividido em 17 regiões, com a região metropolitana dividida em 5 sub-regiões.

Até este momento, apenas 3 regiões do Estado estão classificadas há mais de 14 dias na fase amarela: a capital paulista e as sub-regiões sudeste e sudoeste da região metropolitana.

Educação complementar

A educação complementar não regulada, que compreende cursos livres, como de idiomas, informática, artes, entre outros, passa a ser enquadrada como setor de serviços no Plano São Paulo. Com isso, eles poderão ser abertos, desde que sigam as restrições de capacidade, de horários e de faseamento que foram estabelecidos pelo plano. Assim, esses cursos poderão funcionar em cidades que estejam enquadradas na fase 3 – Amarela.

“A educação complementar poderá ser retomada desde que as cidades onde eles estiverem sendo aplicados estejam na fase 3, ou seja, na fase Amarela do Plano São Paulo”, disse Doria. Atualmente, o Estado tem 7 regiões na fase amarela: a capital paulista, quatro sub-regiões metropolitanas (leste, oeste, sudeste e sudoeste), a Baixada Santista e Registro.

Para voltar a funcionar as instituições e organizações que oferecem os cursos livres precisam obedecer a regras e protocolos de segurança. A fase amarela estabelece, por exemplo, que a ocupação seja limitada a 40% da capacidade e que o horário de funcionamento seja reduzido a 6 horas diárias.

A educação complementar terá ainda de seguir os protocolos estabelecidos no setor educacional, como organização da entrada e da saída para evitar aglomeração e intervalos com o revezamento de turmas, além do cumprimento do distanciamento de 1,5 metro e das medidas de higiene e sanitização dos espaços.

*Com informações da Agência Brasil e do Portal do Governo do Estado de São Paulo

Central de Concursos prepara retorno das turmas presenciais

Após a autorização do governo de São Paulo todas as unidades da Central de Concursos estão preparando para retomar os cursos presenciais. A data de reabertura oficial só não foi informada ainda porque, apesar da liberação, estão sendo tomados todos os cuidados necessários para que as condições desse retorno sejam as ideais.

Confira algumas das medidas que serão colocadas em prática nessa volta às atividades:

• Limitação da capacidade das salas de aula;
• Exigência do uso de máscaras;
• Disponibilização de álcool gel em diversos pontos das unidades;
• Aferição de temperatura de todos os alunos antes das aulas;
• Esquema de revezamento na saída dos intervalos das aulas.

Em breve, será divulgada em todos os canais de comunicação da escola a data de reabertura das unidades. Aguarde!
blog

Cursos

Apostilas

Outras Notícias