• Por: Yuri Salso - Publicado em 31/01/2019 15h36 - Atualizado em 31/01/2019 16h55
Mais uma boa notícia para aqueles que aguardam pelo novo concurso público para inspetor fiscal de rendas da Prefeitura de Guarulhos, na região da Grande São Paulo. No dia 18 de janeiro, foi publicado um despacho no Diário Oficial com a convocação dos membros que farão parte da comissão responsável por acompanhar as etapas do concurso.
 
Despacho publicado no Diário Oficial de Guarulhos, com a comissão responsável pelo concurso
 
A seleção começou a ganhar corpo dia 25 de setembro de 2018, quando foi sancionada a lei 7654/2018, que reestrutura a carreira de inspetor fiscal de rendas e cria 50 postos para o cargo, previstos para o novo concurso.
 
Em entrevista exclusiva à Central de Concursos no fim do ano passado, o prefeito de Guarulhos, Gustavo Henric Costa (também conhecido como Guti) confirmou os preparativos do concurso público com 50 vagas para o cargo de inspetor, revelando, inclusive, que a Fundação Vunesp será a banca organizadora da seleção.
 
“O Departamento de Recursos Humanos já está realizando estudos para a realização de concurso público para o preenchimento destas vagas e, ao término destes estudos, será confeccionado o edital, sendo amplamente divulgado no Diário Oficial do Município e nas mídias pela empresa realizadora de concursos Vunesp”, disse Guti.
 

Inspetor fiscal de rendas

 
O cargo de inspetor fiscal de rendas exige o nível superior em qualquer área e oferece vencimentos iniciais de R$ 6.042,67, podendo chegar a R$ 15.853,91 (valor composto pela soma do salário base, R$ 6.036,63 de produtividade, R$ 880,57 de ajuda de custo e R$ 2.894,04 de gratificação variável).
 
Entre as atribuições do cargo estão: realizar levantamentos fiscais e auditorias de ordem contábil, financeira, operacional e patrimonial nas pessoas físicas e jurídicas; informar processos correlatos à alínea anterior; estudar, pesquisar e emitir relatórios de fiscalização; planejar, executar ou participar de programas de pesquisa, treinamento ou aperfeiçoamento relativos à tributação; assessorar e dar assistência técnica nos Gabinetes de Chefias de Divisão, das Diretorias dos Departamentos de Receita Mobiliária e Receita Imobiliária e do Secretário da Fazenda; fundamentar no que tange aos tributos mobiliários, processos que versem sobre medidas judiciais em geral; manter, sempre que necessário, intercâmbio com órgãos de qualquer esfera relacionado com a tributação, observado o artigo 5º (Lei nº 4.823/1996);  e responder consultas formuladas por contribuintes e interessados sobre matéria tributária.
 
 

Outras Notícias