Central de Concursos
  • Publicado em 09/12/2013 18h53
Quando se decide prestar concurso público alguns detalhes e desafios devem ser vencidos, pois podem atrapalhar os estudos e como resultado gerar frustrações que podem levar o candidato a desistir do seu objetivo de vida.

Veja alguns exemplos:

1. Ler atentamente o enunciado das questões
Para não ser traído pela impulsividade na hora da prova, treine enquanto estuda, lendo atentamente o que a questão está pedindo. Por exemplo, é comum o candidato tentar assinalar a questão certa, quando o enunciado da questão esta pedindo a errada. Outra dica, é observar as expressões “nunca”, “sempre” e “todos”, essas são expressões que podem confundir o candidato.

2. Foco
O ideal é que o candidato já tenha se decidido a que área pretende focar seus estudos. Dessa forma, é mais fácil elaborar um programa de estudos e selecionar o melhor material didático. Caso ainda não tenha claro, é interessante estudar as disciplinas básicas que o preparará para diversos concursos e, posteriormente, passar às especificas após a decisão.

3. Comprometimento
Há candidatos que em pequenas ações demonstram a falta de comprometimento com os livros. Por exemplo, não acordam cedo para iniciar seus estudos e ainda vão para as redes sociais e lá ficam por horas e quando se dão conta, mais da metade do dia foi desperdiçado com essas atitudes. São necessárias disciplina e seriedade para encarar a rotina de estudos que o levará à aprovação.

4. A culpa é sempre do outro
Quando o candidato não tem bons resultados no concurso, é comum culpar a banca, a elaboração das questões e até o curso onde esteve estudando. Ao longo do programa de estudos é necessário incluir o conhecimento das bancas examinadoras (organizadoras) que elaboram os concursos, pois cada uma tem características próprias e conhecê-las é prudente para evitar as pegadinhas. A mesma coisa com o cursinho; se ele apresenta falhas no aprendizado é hora de mudar ou extrair dele o melhor.

5. Abandonar o objetivo na primeira reprovação
O candidato deve ter claro que a maioria dos concurseiros só consegue passar depois de muitas tentativas e a reprovação, digamos, passa a integrar a experiência que ele acumula para a tão aguardada aprovação e rapidez na hora de responder as questões. Nada de desanimar na primeira tentativa.

6. Ler o edital atentamente
Por incrível que possa parecer, há candidatos que mal lêem o edital e já começam a se preparar “do jeito que dá”. Esta é uma prática bastante equivocada. O edital é o documento que rege o concurso e deve ser lido atentamente para verificar se o candidato está apto e atendente todas as exigências do cargo, além de confirmar ou não sua aptidão para a função, a fim de evitar desgastes desnecessários para si e para o bolso.

Boa prova. A Central de Concursos torce por você.

Texto baseado em matéria do G1.
blog

Outras Notícias