Central de Concursos
  • Por: Jornal Diário do Nordeste - Publicado em 15/07/2019 09h51 - Atualizado em 15/07/2019 13h04
Falta de um plano de estudos, desorganização e ansiedade. Esses são alguns dos principais erros cometidos por quem está se preparando para prestar um concurso público. Essa é a avaliação de Gabriel Henrique Pinto, professor e Diretor da Central de Concursos, curso preparatório com 29 anos de experiência na preparação para concursos públicos. “Para estudar corretamente é primordial que se tenha organização”, garante o especialista.
 
Nas palavras de Gabriel Henrique Pinto (foto abaixo), estudar para um concurso é uma tarefa que exige disciplina e dedicação. “Trata-se de um desafio, e como acontece em qualquer desafio, é necessário preparo. Não me refiro ao preparo para a prova, mas ao preparo para o estudo em si. Para que o estudo seja eficiente, devem-se utilizar as ferramentas, os métodos e as técnicas adequadas, e eficiência é a chave para a aprovação”, analisa o professor.

Gabriel Henrique Pinto

Ao iniciar os estudos, o candidato deve organizar um plano, para que aproveite todo o tempo possível. No entanto, é preciso levar em conta suas possibilidades de dedicação. “Não adianta uma programação que estabeleça seis horas de estudo diário, quando o candidato não possui esse tempo disponível. O primeiro passo é definir claramente o tempo que será utilizado para o estudo”, aconselha Gabriel Henrique Pinto.
 
A chave para resolver esse problema é a concentração. “Para um bom desempenho, é necessário direcionar sua concentração de maneira a eliminar atividades desnecessárias, que por muitas vezes acabam tomando um tempo precioso. Tudo ao seu redor será mais prazeroso que estudar. Não se deixe levar por outras atividades que podem tentá-lo a deixar os estudos em segundo plano e procure deixar seu ambiente de estudo limpo e organizado”, recomenda Gabriel.
 

Organização


Outro ponto fundamental é organizar o conteúdo a ser estudado. Isso deve ser feito de modo que todas as disciplinas sejam contempladas. “Distribua as disciplinas dando ênfase às consideradas mais importantes e também àquelas em que você possui um baixo rendimento ou nunca tenha estudado”, orienta o professor da Central de Concursos.

Ações práticas e muito simples contribuem bastante para que o estudo flua com eficiência, como fazer um quadro de prioridades. “A partir daí, o candidato poderá distribuir as disciplinas para que não deixe de ver o conteúdo por muito tempo”, comenta Gabriel Henrique Pinto.
 
O especialista em estudos para concursos públicos aponta que a questão emocional é uma das que mais podem tirar pontos no processo de preparação. Por isso, quando o candidato inicia a preparação de forma organizada, a tendência é aumentar o seu nível de segurança no que está fazendo. “Não deixe que a ansiedade atrapalhe seu rendimento. Prepare-se gradualmente, de maneira constante e progressiva”, recomenda o professor da Central de Concursos.

Os erros mais comuns cometidos pelos concurseiros


Falta de um plano de estudos

O ideal é montar um esquema de estudo eficaz. Todo plano de longo prazo exige ajustes durante o caminho. Todo mês o candidato deve buscar novas metas e preparar um novo quadro de horários, tomando como base o seu desempenho no mês anterior. As lições mais importantes vão surgir das “falhas”. Analise detalhadamente suas ações para entender qual foi o seu erro e corrigi-lo a tempo;

Desorganização

Para estudar corretamente é primordial que se tenha organização. Esse é um dos fatores que mais influenciam para se obter um bom resultado. Otimize seu tempo e separe os horários e dias que você tem disponíveis. O importante é a qualidade com que absorve a informação e não a quantidade de tempo de estudo. Elabore um quadro mensal com as atividades obrigatórias, pois isso vai ajudar na organização das ideias;

Ansiedade

Você não irá aprender todo o conteúdo necessário do dia para a noite. Trata-se de um processo que demanda tempo, sempre resolvendo testes e trabalhando com a repetição, recurso fundamental para fixar os conteúdos.
  

Dicas


• Na definição do horário de estudo, é preciso ter em mente que duas horas bem aproveitadas são mais úteis do que as seis inicialmente previstas, mas que acabam não sendo cumpridas ou sendo constantemente interrompidas.
 
• Uma dica ótima é usar o edital do concurso (ou do concurso anterior, se ainda não houver publicação do novo edital) como guia. Conforme você revisa determinada matéria, grife aquele conteúdo em seu edital. Quando tudo estiver grifado, você estará pronto para a prova.
blog

Cursos

Apostilas

Outras Notícias