Central de Concursos
  • Publicado em 20/08/2013 11h11
A Secretaria de Estado da Educação publicou na última quinta-feira, dia 15, o conteúdo programático dos concursos de diretor e professor PEB II. O documento, entitulado Resolução SE 52 de 2013, dispõe sobre as competêcias e habilidades necessárias para os profissionais da educação e também as referências bibliográficas e de legislação que servirão de base para a realização de concursos púbicos para as duas carreiras.

O chefe de gabinete da Secretaria de Educação, Fernando Padula confirmou que os editais das duas seleções serão publicados no mês de outubro. Durante o evento para o lançamento do programa municipal "Mais Educação São Paulo", na Praça das Artes, no último dia 15, Padula destacou também que a secretaria já deu início ao processo para a escolha das empresas que organizarão as seleções; Após isso, os documento serão finalizados. Com a contratação o órgão pretende definir detalhes como cronograma e valor da taxa de inscrição. De acordo com o chefe de gabinete a intenção é de que os aprovados iniciem as atividades já no primeiro dia do ano letivo, em fevereiro de 2014.

A seleção para professor PEB II foi autorizada pelo governador Geraldo Alckmin no dia 6 de julho e visará o preenchimento de 59 mil vagas. Concomitantemente, a coordenação de RH da pasta também realiza os estudos iniciais para a definição das instruções do concurso. "Eu acredito que em outubro deveremos publicar o edital, sendo que a intenção é fazer um edital só, regionalizado", disse Padula.

A expectativa é que sejam convocados já no ano que vem cerca de 20 mil novos professores. Os demais devem ser chamados ao longo da validade do processo seletivo. Por este motivo, o concurso deve ser agilizado e acontecer ainda no segundo semestre deste ano.

O salário-base dos educadores do 6º ao 9º ano, para a jornada de 30 horas semanais, é de R$1.693,38. Já no regime de dedicação integral, cuja jornada é de 40 horas, é de R$2.257,84. Nesse caso, há ainda uma gratificação inicial de R$1.693,38, somando R$3.951,22.

Esta será a maior contratação da história para o cargo. No entanto, o número de vagas anunciado ainda está abaixo da necessidade do estado. De acordo com o levantamento funcional divulgado em 30 de abril há 78.896 cargos vagos atualmente de professor PEB II.

A previsão é que o novo concurso vise o preenchimento de vagas destinadas para todas as disciplinas da grade curricular da rede: Arte, Biologia, Ciências Físicas e Biológicas, Educação Física, Filosofia, Física, Geografia, História, Inglês, Língua Portuguesa, Matemática, Química e Sociologia.

Diretor
No caso do concurso de diretor, simultaneamente à escolha da organizadora a Secretaria está realizando, desde o último dia 9, o processo de remoção, que antecede o concurso público. Após esta etapa a expectativa é que a pasta finalize o levantamento da carência de servidores em todas as diretorias de ensino do estado para realizar a distribuição de vagas por região. Ao todo o concurso contará com uma oferta de 1.450 vagas.

Para participar da nova seleção o candidato deverá ter licenciatura em pedagogia, ou pós-graduação na área de educação, além de ter no mínimo oito anos de experiência como efetivo no exercício do magistério. Não é preciso estar em atuação na rede estadual. A remuneração inicial para diretor é de R$5.144,87, para uma jornada de 40 horas semanais, já inclusas as gratificações de representatividade, no valor de R$500, e gratificação de dedicação plena e integral, no valor de R$1.990,06.

O anúncio da abertura do concurso foi feito pelo governador Geraldo Alckmin na última quinta-feira, 1° de agosto, durante a inauguração da Escola Estadual Vila Yolanda IV, localizada na zona leste da capital. “Esse concurso tem uma inovação: o diretor será submetido ao conselho escolar após terminar os cursos de formação. Nós queremos professores bem preparados, que tenham vocação e se dediquem à escola”, afirmou o governador.

Os novos diretores, aprovados na seleção, deverão frequentar dois cursos de formação com duração de seis meses antes de atuar nas unidades de ensino. Após o curso, os diretores devem apresentar um plano de trabalho específico para a escola em que atuarão. A aprovação nesta etapa também será condicionada à frequência.

Simultaneamente ao período de formação, o diretor passa por um estágio probatório com duração de três anos, período em que os profissionais vão receber orientações sobre a função de gerenciamento de recursos humanos e estratégias de ensino. Após o estágio, todos os gestores passarão ainda por avaliações anuais feitas pelo conselho escolar.

Fonte: Folha Dirigida
blog

Outras Notícias