Central de Concursos
  • Por: Yuri Salso - Publicado em 14/03/2016 13h37
O novo concurso que será realizado pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) está cada vez mais próximo de sair. A seleção já possui uma comissão formada, a qual será responsável pela elaboração do edital de abertura de inscrições, com oportunidades para os cargos de técnico judiciário (nível médio) e analista judiciário (nível superior em áreas que ainda serão definidas).
 
O cargo de técnico oferece remuneração inicial de R$6.164,92, já o de analista tem iniciais de R$9.602,97. O TRE-SP também oferece aos servidores assistência pré-escolar, de R$632, para quem tem filho de até 6 anos e 11 meses, além de adicional de qualificação e outras gratificações que podem elevar ainda mais os vencimentos.
 
O concurso já pode ser dado como certo, uma vez que ele já está previsto no orçamento federal de 2016. A última seleção, homologada em 2012, tem validade até julho e o órgão tem o costume de iniciar novos processos seletivos antes do término do prazo de validade, afim de manter um cadastro disponível.  Portanto, quem pretende ingressar no TRE-SP já pode iniciar os estudos.
 
Além disso, em 28 de julho de 2015, a presidente Dilma Rousseff sancionou a lei 13.150, que cria 332 vagas para os cargos de técnico e analista em Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) em todo o país. Destas, 66 são para São Paulo, sendo 33 técnicos e 33 analistas.
 
 
Independente da oferta de vagas, o órgão costuma chamar muitos remanescentes durante o prazo de validade, de acordo com as necessidades.
 
Em 2011 foram oferecidas 111 oportunidades, sendo 59 para técnicos e 52 para analistas. Foram chamados 601 candidatos e ainda há previsão de que sejam chamados mais 66 até julho/2016, quando o prazo de validade do concurso expirará.
 
A organizadora foi a Fundação Carlos Chagas, que pode ser mantida para a próxima seleção. Para o cargo de técnico judiciário (área administrativa), a prova objetiva foi composta por 80 questões, sendo 50 de conhecimentos básicos (Português, Interpretação de Textos, Redação Oficial, Noções de Informática e Noções de Arquivologia) e 30 de conhecimentos específicos (Noções de Direito Constitucional, Noções de Direito Eleitoral, Noções de Direito Administrativo, Regime Jurídico Único e Regimento Interno do TRE-SP).
 
O candidato tinha 04 horas para realização da prova. As disciplinas de conhecimentos básicos tinham peso 1 e as de conhecimento específico peso 3. Nesse concurso não houve prova discursiva para o cargo de técnico.
 
blog

Outras Notícias