Central de Concursos
  • Por: Yuri Salso - Publicado em 08/11/2017 13h11 - Atualizado em 08/11/2017 13h48
Interessados em participar do concurso em pauta para escrevente do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), para comarcas do interior e litoral, já devem iniciar os estudos, de acordo com especialistas. Além da concorrência acirrada que justifica os estudos, o fato de haver uma organizadora definida e um programa de estudo de um concurso recente também são motivos para que a preparação comece logo.
 
A organizadora será a Fundação Vunesp, que ficará responsável pelas novas seleções do TJ-SP até meados do ano que vem. Como o órgão abriu no início de 2017 uma seleção para escrevente na capital, o programa de estudo desse concurso serve como referência para o próximo. O último concurso para escrevente no interior e litoral foi realizado em 2015 também pela Vunesp e tem validade até dezembro, já com a prorrogação. O concurso exige nível médio e proporciona remuneração R$ 6.271,26, já com os benefícios.
 

Dicas para a prova de informática

 
Apesar do conteúdo programático ter sido o mesmo nos últimos dois anos, a maneira como a banca abordou alguns temas mudou. Pelo menos foi assim na parte de Informática, segundo o professor Celso Reis, da Central de Concursos.
 
“As provas do TJ-SP costumavam ser bem mais fáceis, mas no concurso desse ano o nível de dificuldade aumentou um pouco, com perguntas sobre atalhos que não usamos no dia a dia. Um exemplo são os componentes de uma URL completa e a pesquisa dentro do explorador de arquivos (Windows Explorer). Mas apesar disso, a Vunesp continuou fazendo perguntas sobre determinados temas no mesmo estilo, mudando pouca coisa”, explica.
 
Tanto na seleção de 2015 quanto na de 2017 houve 16 questões dessa disciplina. Se isso se mantiver no próximo concurso, o professor Celso aposta que, como costuma ocorrer, sejam tradicionalmente três questões de Windows, três de Word, três de Excel e entre cinco e seis tratando de internet e e-mail.
 
Na parte de internet, o docente pede que os candidatos tenham atenção em navegação e barra de endereços. “Como no programa agora vem o Windows 10, é preciso atentar para o Microsoft Edge, que é o nome do novo navegador desse sistema operacional”, acrescenta. O professor pontua também que poderá haver perguntas de alguns recursos exclusivos do Windows 10, como Microsoft OneDrive, Continuum e Windows Hello.
 
Quando se fala em e-mail, ele explica que essa parte costuma ser a mais fácil, pois são questões de assuntos usadas no cotidiano das pessoas, como o CC e o CCO. Com isso, o índice de acertos é grande. O especialista diz ainda que a Vunesp é bem direta nas perguntas. Logo os candidatos não apresentam grandes problemas na interpretação delas, segundo ele.
 
Em se tratando de Word, o especialista alerta para os nomes dos comandos (atalhos) e configurações da página. Já em Excel, é preciso que os concurseiros façam cálculos. “Informática não é difícil, o difícil é saber como as bancas vão perguntar. O uso diário de Informática não te ajuda a resolver as questões, pois são cobrados conceitos, e não a prática. Os candidatos podem estudar essa matéria uma hora por dia, que é o ideal”, concluiu.
 

Curso Preparatório

 
Aproveite que o edital do concurso TJ-SP ainda não foi publicado e saia na frente para conquistar uma das vagas. Antecipe sua preparação estudando no curso preparatório que tem os melhores professores, melhor carga horária e material didático, além de 28 anos de experiência em aprovação.
 
 
Quem quer passar no concurso para escrevente do TJ, passa na Central.
blog

Outras Notícias