Central de Concursos
  • Por: Por Redação - Publicado em 23/12/2021 07h36
Foto: Divulgação

Saiu no Diário Oficial da União desta quinta-feira, 23 de dezembro, o edital para o concurso da Controladoria-Geral da União, trazendo um total de 375 vagas – 75 para técnico e 300 para auditor. O documento com todas as informações sobre o mais novo concurso nacional foi publicado dentro do prazo que havia sido ventilado pelo ministro da CGU, Wagner Rosário, de que ele sairia ainda em 2021.

Para acessar o edital da CGU na íntegra basta clicar neste link. Confira ao longo desta matéria as principais informações a respeito desse concurso:

Quem pode concorrer? E quanto irá ganhar?

O cargo de técnico de finanças e controle é destinado para quem possui nível médio como escolaridade mínima. A remuneração concedida no início de carreira será de R$7.283,31, mas com a inclusão do auxílio-alimentação de R$458, o valor sobe para R$7.741,31.

Já para concorrer às 300 vagas de auditor de finanças e controle, o requisito básico passa a ser o nível superior, em qualquer área de graduação. Apesar de não exigir uma formação específica, o candidato a auditor deverá selecionar a área de especialização em que pretende trabalhar. O edital traz quatro opções:

  • Auditoria e Fiscalização: com lotação na Região Norte do país e no Órgão Central, no Distrito Federal;
  • Tecnologia da Informação: lotação somente no Órgão Central;
  • Contabilidade Pública e Finanças: lotação no Órgão Central;
  • Correição e Combate à Corrupção: lotação no Órgão Central.  


O ganho mensal será de R$ 19.197,06, mas chegará a R$19.655,06 com o acréscimo do auxílio-alimentação de mesmo valor.

As jornadas de trabalho para esses cargos será de 40 horas semanais e as contratações através do regime estatutário, que garante estabilidade ao servidor público.

Quando poderei me inscrever no Concurso CGU?

Quem já se interessou em disputar as 375 vagas oferecidas pela CGU terá de esperar as Festas de Final de Ano passaram para se inscrever. A Fundação Getúlio Vargas, banca contratada em novembro para organizar esse certame, abrirá as inscrições na primeira segunda-feira de 2022 – em 3 de janeiro. O término do prazo está marcado para o dia 1º de fevereiro.

Para que a inscrição seja garantida, é preciso efetuar o pagamento da taxa de inscrição nos valores de R$80 (técnico) ou R$120 (auditor).

Os membros de família de baixa renda, inscritos no CadÚnico, ou doadores de medula óssea terão direito à isenção desse pagamento, fazendo a solicitação na página eletrônica da FGV entre os dias 3 e 8 de janeiro.

O resultado preliminar dos pedidos de isenção será divulgado em 19 de janeiro de 2022, cabendo recursos nos dois dias seguintes para quem teve o pedido negado. A lista final dos concorrentes com a isenção deferida sairá até 31 de janeiro de 2022.

No ato de inscrição, o candidato precisará informar se pretende concorrer em ampla concorrência ou na reserva de vagas para negros e portadores de deficiência, além de optar pela cidade em que deseja prestar as provas objetivas.

Como serão as provas?

Os futuros inscritos no Concurso CGU serão avaliados nas seguintes etapas:

  • Prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório;
  • Prova discursiva, de caráter eliminatório e classificatório;
  • Perícia médica, exclusiva para candidatos que se declararem com deficiência, de caráter unicamente eliminatório;
  • Heteroidentificação, exclusiva para candidatos que se declararem negros, de caráter unicamente eliminatório.


As provas objetivas e discursivas estavam sendo prometidas pelo comando da CGU para antes do Carnaval. Porém, o edital revela que os exames acontecerão somente em 20 de março.

Como as oportunidades estão restritas aos sete estados da Região Norte e para o Distrito Federal, as provas acontecerão nas capitais desses estados e em Brasília, além de outras três capitais que ganharam o direito de sediar os exames, como a cidade de São Paulo, que irá representar a Região Sudeste. Já as cidades de Porto Alegre (RS) e Recife (PE) irão representar, respectivamente, as Regiões Sul e Nordeste. 

Enquanto os candidatos a técnico serão avaliados somente pela manhã (das 8h às 12h30), os exames para auditores serão divididos em dois turnos: Manhã (das 8h até 12h30min: prova objetiva de Conhecimentos Básicos e prova discursiva) Tarde (das 15h até 19h: provas objetivas de Conhecimentos Específicos e de Conhecimentos Especializados).

Confira abaixo como estão estruturadas as provas objetivas para os dois cargos:

Prova de Técnico (80 questões)

  • Conhecimentos Básicos: 15 questões de Língua Portuguesa, cinco de Língua Inglesa, cinco de Raciocínio Lógico-Quantitativo, cinco de Noções de Tecnologia da Informação;
  • Conhecimentos Específicos: 10 de Noções de Direito Constitucional, 10 de Noções de Direito Administrativo, 10 de Noções de Administração Financeira e Orçamentária, 10 de Noções de Administração Geral, 10 de Controladoria-Geral da União (organização, competências e sistemas estruturantes).


Prova de Auditor (110 questões)

Esse quantitativo de questões será dividido em 30 questões de conhecimentos básicos, 40 de conhecimentos específicos e outras 40 de conhecimentos especializados. Vejam quais disciplinas você, futuro candidato a auditor da CGU, terá que estudar:

  • Conhecimentos Básicos: 15 de Língua Portuguesa, cinco de Língua Inglesa, 10 de Administração Pública e Políticas Públicas;
  • Conhecimentos Específicos: 10 de Direito Constitucional, 14 de Direito Administrativo, cinco de Administração Financeira e Orçamentária, seis de Fundamentos de Auditoria Governamental e cinco de Controladoria-Geral da União (organização, competências e sistemas estruturantes).


Conhecimentos Especializados para auditores

Área de Auditoria e Fiscalização: 10 questões de Auditoria Governamental e Controle Interno, 10 de Contabilidade Aplicada ao Setor Público, 10 de Avaliação de Políticas Públicas e mais 10 de Finanças Públicas;

Área Correição e Combate à Corrupção: 16 questões de Direito Administrativo Sancionador, oito de Direito Civil e Processual Civil, oito de Direito Penal e Processual Penal e oito de Direito Empresarial.

Área de Tecnologia da Informação: oito questões de Ciência de Dados, oito de Desenvolvimento de Sistemas, oito de Bancos de Dados, oito de  Infraestrutura Tecnológica e oito de Segurança da Informação;

Área de Contabilidade Pública e Finanças: 10 questões de Auditoria Governamental, 10 de Contabilidade Aplicada ao Setor Público, cinco de Análise de Demonstrações Financeiras, cinco de Estatística e 10 de Finanças.

Na parte discursiva, os candidatos terão que produzir um texto de até 90 linhas e uma questão de até 15 linhas, ambas sobre temas relacionados à Administração Pública, Direito Constitucional, Direito Administrativo ou Administração Financeira e Orçamentária. A dissertação valerá 50 pontos e a questão 20, o que totaliza uma meta máxima de 70 pontos. 


blog

Cursos

Apostilas

Outras Notícias