Central de Concursos
  • Por: Luiz Fernando Caldeira - Publicado em 07/06/2021 13h16
Foto: divulgação

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, ao encaminhar o pedido do concurso BC ao Ministério da Economia, fez um apelo ao ministro Paulo Guedes para que seja autorizada a seleção para 245 vagas em cargos dos níveis médio e superior.

Em ofício enviado a Paulo Guedes, Roberto Campos Neto explica que é urgente a necessidade do concurso BC, tendo em vista a drástica redução da força de trabalho no banco nos últimos anos, sobretudo em virtude de aposentadorias.

O presidente do BC também explicou que houve acréscimos nas atribuições institucionais do banco e aumentou do número de serviços, mas que o ingresso de servidores não acompanhou esse crescimento.

Roberto Campo Neto afirma a falta de pessoal acarreta risco ao Sistema Financeiro Nacional (SNF) e que o concurso é fundamental para a preservação da capacidade operacional do BC e a continuidade das ações essenciais de sua responsabilidade, nos níveis de qualidade e agilidade requeridos pela sociedade.

“A redução da força de trabalho do BC acarreta risco ao adequado funcionamento do Sistema Financeiro Nacional (SFN), na medida em que diminui a capacidade de manutenção de serviços essenciais a cargo desta Autarquia e afeta o desenvolvimento das novas competências que lhe vêm sendo atribuídas por leis e de ações estratégicas definidas para os próximos anos, elencadas na Agenda BC# e alinhadas com as diretrizes e iniciativas do Governo Federal”, diz Neto.

Vagas para cargos dos níveis médio e superior

As 245 vagas solicitadas pelo BC ao Ministério da Economia são para as carreiras de técnico, analista e procurador, sendo 122 para serem preenchidas em 2022 e 123 em 2023.

Segundo o BC, para 2022, foram solicitadas 15 para técnico, 100 para analista e sete para procurador. Para 2023, o pleito é mesmo, sendo que para a última carreira são oito vagas. O pedido agora vai tramitar por diversas instâncias do Ministério da Economia. Dada a grande carência de pessoal e o papel estratégico do banco para o país, a expectativa é de que o BC possa, finalmente, ter seu pedido de concurso atendido pelo governo federal.

A carreira de técnico exige nível médio e proporciona remuneração inicial R$7.741,31. Para concorrer a uma vaga de analista, cujos rendimentos são de R$19.655,06. é preciso ter formação superior em qualquer área. Já para procurador, o requisito é ter bacharelado em Direito e exercício comprovado de dois anos de prática forense. Os ganhos são de R$21.472,49.

Enquanto aguarda o aval do Ministério da Economia para realizar novo concurso, o BC dispõe de 2.939 cargos vagos em sua estrutura. Os dados são referentes a fevereiro de 2021 e ressaltam a necessidade um novo certame para ingresso de novos servidores na instituição.

Somente para analista, faltam 2.394 servidores. Há ainda 409 postos sem preenchimento para técnico e 136 para procurador. De modo geral, dos 6.470 cargos previstos na Lei nº 9.650, que prevê o quadro de pessoal do BC, apenas 3.531 estão ocupados.

Saiba como foi o último concurso

O último concurso para os cargos de técnico, analista e procurador foi aberto em 2013. Ou seja, há oito anos o BC não reforça o seu quadro de pessoal. Na época, foram oferecidas 515 vagas, sendo 100 para técnico, 400 para analista e 15 para procurador.

Para técnico e analista, as seleções compreenderam provas objetiva e discursiva, avaliação de títulos (apenas para analista) e programa de capacitação. Especificamente para técnico, a prova de Conhecimentos Básicos abrangeu Língua Portuguesa, Noções de Direito Constitucional e de Direito Administrativo, Gestão Pública, Informática e Raciocínio Lógico-Quantitativo.

Já a parte de Conhecimentos Específicos versou sobre Fundamentos de Contabilidade, Fundamentos de Gestão de Pessoas e Fundamentos de Gestão de Recursos Materiais, no caso da área de Suporte Técnico-Administrativo, que costuma atrair a maior parte dos inscritos. A outra área possível é a de Segurança Institucional.

Para analista, a prova de Conhecimentos Básicos foi sobre Língua Portuguesa, Língua Inglesa, Raciocínio Lógico, Direito Constitucional, Direito Administrativo, Sistema Financeiro Nacional e Sistema de Pagamento Brasileiro e Economia.

Na prova específica, por sua vez, as disciplinas variaram conforme a área de atuação pretendida. Foram oferecidas vagas nas áreas de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Suporte à Infraestrutura de Tecnologia da Informação, Política Econômica e Monetária, Contabilidade e Finanças, Infraestrutura e Logística e Gestão e Análise Processual.

No caso de procurador, a seleção abrangeu prova objetiva, inscrição definitiva, provas discursivas, prova oral, avaliação de títulos e curso de formação, além de sindicância de vida pregressa.
blog

Cursos

Apostilas

Outras Notícias