Central de Concursos
  • Por: Yuri Salso - Publicado em 05/07/2019 09h05 - Atualizado em 05/07/2019 13h12
O Banco Central (Bacen) ampliou o número de vagas em seu novo pedido de concurso público enviado ao Ministério da Economia. Trata-se de uma complementação ao pedido feito ainda em 2018, com 200 vagas para o cargo de analista e 30 para o de procurador, ambos de nível superior. Agora, a solicitação do concurso Bacen contempla também 30 vagas para o cargo de técnico, de nível médio, totalizando 260 oportunidades.
 
Para analistas, a remuneração inicial é de R$ 19.655,06 e exige ensino superior completo em qualquer área de formação. Já os futuros procuradores precisam ter graduação em Direito, inscrição na Ordem dos Advogados do Brasil e comprovação de, no mínimo, dois anos de prática forense. Os vencimentos são de R$ 21.472,49 por mês.
 
Grande novidade do pedido atual, o cargo de técnico do Banco Central exige somente o ensino médio completo e garante remunerações iniciais de R$ 7.741,31, valor que já tem incluso o auxílio-alimentação de R$ 458.

Todas as vagas solicitadas são para preenchimento em 2020.

Número de vagas não supre defasagem de pessoal


Apesar do acréscimo de 30 vagas para a carreira de técnico, a solicitação não chega nem perto de suprir o déficit no quadro de pessoal do Bacen. Levantamento recente aponta que o Banco Central possui 2.768 cargos vagos.

De acordo com o presidente do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal), Paulo Lino Gonçalves, a situação ainda pode ficar mais crítica, pois parte dos servidores está em fase de se aposentar. “O Banco Central nunca esteve com um quadro de pessoal tão baixo como hoje, em que faltam 2.768 servidores, sendo 2.248 somente na carreira de analista. Anualmente, cerca de 200 pessoas deixam a autarquia devido a aposentadorias. Mas com a iminência da Reforma da Previdência, o número deste ano deve aumentar. O quantitativo solicitado pelo banco vai apenas aliviar um pouco a situação, mas não resolver tudo. Mas entendemos que o BC fez um pedido modesto para ver se agora será atendido”, afirmou o presidente.

Projeto de lei prevê maior autonomia do Bacen

 
A realização do concurso Bacen é importante devido ao déficit de servidores e o órgão aguarda autorização em breve. Mas, ao mesmo tempo que há a expectativa do aval, está em trâmite um projeto de lei (PL) assinado em maio pelo presidente Jair Bolsonaro que prevê maior autonomia do órgão. A expectativa é que o assunto seja discutido no Congresso Nacional após a Reforma da Previdência.
 
Caso concretizada, essa autonomia contribuiria para a realização do concurso Bacen, uma vez que o órgão não teria mais que aguardar aval do Ministério da Economia para realizar a seleção.

Último concurso Bacen


Com o novo envio do pedido de concurso Bacen, a orientação dos especialistas é para que os interessados iniciem o quanto antes a sua preparação, tomando como base a seleção mais recente para o cargo pretendido. Para técnico e analista, a última seleção foi realizada em 2013, com os candidatos sendo submetidos a provas objetiva e discursiva, avaliação de títulos (apenas para analista) e programa de capacitação. No caso de técnico, foram cobrados conhecimentos de Língua Portuguesa, Noções de Direito Constitucional e de Direito Administrativo, Gestão Pública, Informática e Raciocínio Lógico-Quantitativo, além de Conhecimentos Específicos.

No último concurso, os candidatos aprovados assumiram seus postos em cinco capitais: Brasília, Salvador, Porto Alegre, São Paulo e Belém.

LEIA TAMBÉM


blog

Cursos

Apostilas

Outras Notícias