Central de Concursos
  • Publicado em 08/07/2013 11h04
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciou um novo concurso para professor Educação Básica II, para o preenchimento de 59 mil vagas. A seleção deve ser realizada ainda este ano. A medida faz parte de um pacote de ações para as melhorias da Educação no estado. Também foram informadas mudanças no processo de ingresso para acelerar presença dos docentes em sala de aula. A autorização para a seleção foi publicada no Diário Oficial do estado deSão Paulo deste sábado, dia 6.

Esta será a maior contratação da história para o cargo. No entanto, este número ainda está abaixo da necessidade do estado. De acordo com o levantamento funcional divulgado em 30 de abril há 78.896 cargos vagos atualmente de professor PEB II. A última seleção para o cargo foi realizada em 2010, para o preenchimento de 10.083 vagas. No entanto, a quantidade de nomeações foi bastante superior em relação às vagas em oferta. Desde janeiro de 2011, já foram nomeados mais de 34 mil docentes.

Os novos contratados receberão o novo valor de salário, que entrou em vigor no dia 1º de julho. Com o reajuste de 8,1%, o salário-base dos educadores do 6º ao 9º ano, passou para 2.257,84. Além disso, para 2014 está previsto mais um reajuste, de 7%, aumentando o salário para R$2.415,89.

A previsão é que o novo concurso vise o preenchimento de vagas em todo o estado, destinadas para todas as disciplinas da grade curricular da rede: Arte, Biologia, Ciências Físicas e Biológicas, Educação Física, Filosofia, Física, Geografia, História, Inglês, Língua Portuguesa, Matemática, Química e Sociologia. Os processos seletivos para professor PEB II do estado costumam atrair a atenção de muitos concurseiros. Na última seleção, por exemplo, foram registrados 261.489 inscritos.

Mudanças
Também foram anunciaram mudanças nos concursos de ingresso dos professores. Isso porque, o curso de formação deixa de fazer parte do processo seletivo. Dessa forma, após serem selecionados, os servidores passarão pela formação específica – na Escola de Formação e Aperfeiçoamento do Estado de São Paulo "Paulo Renato Costa Souza" (EFAP)– simultaneamente ao estágio probatório. Antes, estas fases aconteciam em fases distintas. Além disso, não será mais necessário cumprir os três anos de atuação obrigatória na unidade de ensino (estágio probatório) para só então participarem do processo de remoção.

Outra novidade é que, a partir de agora, os 181,5 mil professores efetivos e estáveis da rede estadual de ensino paulista poderão acumular o cargo com a contratação temporária. Isso irá permitir que, por exemplo, o professor substitua um outro em horário distinto de sua jornada, além de aumentar a carga horária de acumulação para 65 horas semanais.

No pacote de valorização da rede, também foram contemplados outros servidores que compõem o quadro da Educação. A Secretaria anunciou a nomeação de 973 agentes de organização escolar, a criação de 127 cargos de oficial administrativo e 87 de executivo público.

Mais Vagas
Juntamente com as 59 mil vagas para professores o governador Geraldo Alckmin autorizou a contratação de 400 vagas de analista de tecnologia, mediante a abertura de concurso público e 418 para anlista administrativo, que poderam ser providos por meio de concurso ou de aproveitamento de remanescentes. No mesmo despacho também foram autorizadas 87 contratações para executivo público, 127 para oficial administrativo, por meio da contratação de remanescentes de concursos em andamento.

Fonte: Folha Dirigida
blog

Outras Notícias