• Por: Yuri Salso - Publicado em 05/04/2017 12h54 - Atualizado em 13/04/2017 09h08

A Comissão de Assuntos Sociais do Senado Federal (CAS) anunciou que encaminhará ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) um pedido de autorização de concurso público com 697 vagas para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A distribuição das oportunidades pelos respectivos cargos já foi definida pela agência (confira abaixo).


O anúncio foi feito no dia 29 de março pela presidente do colegiado, a senadora Marta Suplicy, após sabatina e aprovação de recondução de Fernando Garcia Neto à diretoria da Anvisa. Para Marta, o objetivo é fortalecer a agência e dar mais segurança ao consumidor brasileiro. “O déficit hoje de funcionários necessários para a Anvisa funcionar como uma agência desse porte deve funcionar é de 697 pessoas. A Anvisa é uma instituição que nós todos temos e confiamos que nos proteja no que se refere aos remédios. Nós vamos fazer um documento pedindo o concurso, que será encaminhado ao Planejamento. Estamos falando de saúde pública e é uma demanda do povo brasileiro ”, disse a senadora.

 

Cargos e remunerações

 

Os cargos de técnico em regulação e vigilância sanitária (48 vagas) e técnico administrativo (124) têm como exigência o nível médio de escolaridade. Os vencimentos iniciais são de R$ 6.415,52 para técnico em regulação e R$ 6.147,52 para técnico administrativo, já incluso o valor de R$ 458 do auxílio-alimentação.

As carreiras de especialista em regulação (457) e analista administrativo (68), oferecem respectivos ganhos iniciais de R$ 11.529,29 e R$ 12.432,49, valores que também incluem o auxílio-alimentação. A exigência é de nível superior em áreas específicas, que ainda serão confirmadas.

 

Últimos concursos Anvisa


Realizado em 2013, o último concurso Anvisa contou com 314 oportunidades. O processo seletivo, organizado pela Cetro Concursos, foi feito por meio de prova objetiva sobre língua portuguesa; raciocínio lógico e quantitativo; direito constitucional e administrativo e ética; regulação e administração pública; vigilância sanitária e saúde pública; e conhecimentos específicos. Também foram aplicadas avaliações discursivas.

Os cargos de técnico em regulação e vigilância sanitária (100) e de técnico administrativo (28) exigiam o nível médio. Já para concorrer aos postos de especialista em regulação e vigilância sanitária (157) e analista administrativo (29), o requisito era o nível superior.

No ano passado, a agência divulgou o edital de concurso público com 78 vagas de nível médio para a carreira de técnico administrativo, além de formação de cadastro reserva. O processo seletivo foi organizado pela Cespe/UnB, com provas objetiva e discursiva.

A prova objetiva foi composta por 120 questões, sendo 50 de Conhecimentos Básicos e 70 de Conhecimentos Específicos. O exame discursivo foi constituído de uma redação de até 30 linhas, sobre atualidades.

Em relação à lotação das oportunidades, nas ocasiões, todas as vagas foram para Brasília, no Distrito Federal.
 

Outras Notícias